Leitores do Blog

Pages

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

INFORMATIVO: AULAS DE HOJE SUPENSAS


Aos alunos da Faculdade Batista do Rio de Janeiro é comunicado que as aulas durante todo este dia (25/11) foram suspensas, devido às constantes possibilidades de atentados, que vem passando a cidade do Rio de Janeiro. Para segurança dos alunos, funcionário e professores, as aulas de hoje estão suspensas. Segue a possibilidade de amanhã (26/11) vigorar a suspensão.

Continuemos orando em favor da paz da nossa cidade!

CADS

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

AULAS SUSPENSAS PARCIALMENTE


Queridos professores e alunos do STBSB / Fabat, Devido aos últimos acontecimentos turbulentos da nossa cidade, hoje, dia 24.11, as aulas estarão suspensas a partir das 21 horas. Assim, a entrega de trabalhos ou as provas de hoje ficam transferidas para a semana que vem. Ou outra data que o professor combinará com a turma.

Fiquem em paz, tenham todos uma boa noite e lembrem-se de nossa cidade em suas orações.

Teresa Akil CGA - STBSB / Fabat Ad Majorem Dei Gloriam

terça-feira, 23 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Eleições do DCEDS- Começou a votação


A Comissão Eleitoral comunica ao alunos matriculados na Faculdade Batista do Rio de Janeiro, que as eleições para o novo Diretório Central dos Estudantes Doutor Shepard, ocorrerá hoje, no campus da FABAT, entre as 9h às 21h. Os alunos que encontram-se devidamente matriculados em alguns curso da FABAT/STBSB, estão aptos para votar.

Boa escolha!

DCEDS

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Aonde está Jesus?


Apocalipse 3:20 “Eis que estou a porta e bato...”

Esse versículo é muito utilizado pelos pregadores ao fazer calorosos apelos, em que Jesus está batendo no coração do não crente para que Ele se converta – o que não deixa de ser verdade.

O convite que faço neste momento é para que reflitamos sobre o versículo dentro de seu contexto. Pois em apocalipse 3:20 Jesus não está batendo à porta do não crente, mas sim da igreja de Laodicéia, uma igreja que não era quente nem fria, uma igreja que dava ânsia de vômito.

Jesus está batendo na porta de sua igreja. Jesus desejava entrar, pois por algum motivo ele já não estava mais dentro da igreja. Entendemos então que Jesus que antes era o Senhor daqueles irmãos, era o Senhor daquela igreja, havia sido colocado para fora! Mas ainda assim, por amor, Ele insiste em bater à porta.

A palavra diz que "onde houver dois ou três reunidos em meu nome, ali eu estarei". Vê-se então que não haviam nem 2 ou 3 reunidos em nome de Jesus. Era uma igreja que se reunia em nome próprio; em nome de seu ego; em nome de seu convívio social; se reuniam em nome de qualquer coisa diferente do nome de Jesus. As musicas dessa igreja nunca chegavam a ser louvores, não passavam de uma exposição de vozes e instrumentos. As pregações são vazias de sentimentos. Não havia adoração.

Não só a igreja o havia expulsado como cada cirstão individualmente o havia colocado para fora do seu coração. Homens e mulheres que um dia aceitaram o Senhorio de Cristo, que conheceram o reino de Deus, mas que em algum momento resolveram abrir a porta do seu coração para o deus deste século, para os desejos da carne, para o ódio, a inveja, a fofoca e ao fazer isso estava na verdade virando para Jesus e dizendo “Pega as suas coisas e vai embora, não quero mais você aqui. Agora as coisas serão do meu jeito.”
Eu imagino Jesus com todo seu amor, respondendo “Mas filho eu fui humilhado, fui torturado, maltratado, crucificado para estar hoje com você! Olhe para as feridas em minhas mãos! Você participou da ceia, comeu do meu corpo e bebeu do meu sangue. Eu te amo com minha vida”

Mas ainda assim Jesus recebe mais um insulto de nossa parte sendo destronado de nossos corações.

Mesmo Ele sendo o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores, ele respeita a sua vontade, a autoridade que você tem sobre a sua vida, Ele é educado, Ele bate à porta e só entra se for convidado.

Infelizmente vemos uma realidade cristã parecida com a de Laodicéia. E não se trata de um fenômeno isolado em uma igreja, mas de todo um conjunto de igrejas, denominações, países e cristãos individualmente. Pessoas doentes, liderança doente e principalmente negligente. Em meio ao caos que se instalou em Niterói com as chuvas, centenas de mortos, milhares de desabrigados - quantos não dormiam tranqüilos sem se quer dobrar os joelhos para interceder ou procurar ajudar de alguma fora?
Trago este exemplo apenas como forma de reflexão!

Tal reflexão é fundamental para um crescimento espiritual e principalmente o crescimento do reino de Deus.
Arrependei-vos, pois é chegado o reino de Deus.

Em meio ao caos nasce um tempo de avivamento para a igreja brasileira. Para isso é necessário três coisas:
1 – devemos nos examinar e ver se tal como a igreja de Laodicéia se expulsamos Jesus de nosso coração, dando lugar as coisas deste mundo ou se Jesus realmente é o Rei em nossas vidas?

2 – é necessário um arrependimento genuíno. Nos humilharmos diante de Deus e chamarmos para que Ele tome de novo o primeiro lugar em nossas vidas. É necessario um convite para que Jesus entre e assuma o seu trono.

3 – então ceiaremos com Jesus, desfrutaremos de um tempo maravilhoso de intimidade.

Aonde está Jesus? Reinando em nossos corações? ou batendo à porta?
Ainda que toda a igreja o expulse, se você, se você apenas abrir a porta, Ele entrará e ceiará contigo!
Que o Senhor Jesus seja o Senhor do seu coração!

Por Eduardo Calil Ohana

A ORAÇÃO E O ADVENTO DA TECNOLOGIA


"E, comendo com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes."
Atos 1.4

Com o advento da tecnologia. Com as pesquisas imediatas em sites como o GOOGLE, BING e tantos outros, que apenas com um click , e em segundos, apresentam-nos inúmeras informações sobre aquilo que estamos procurando, pergunto-me como ficamos a respeito doTEMPO DE ESPERA, no qual em muitas vezes somos colocados por Deus?
O sinal de transito abriu. Buzinas soam clamando por uma saída rápida do carro que está à frente.
A metrô que passa de três em três minutos está trinta segundos atrasado, é o suficiente para chatear-nos.
Clicamos mas o site demorou quinze segundos para abrir. "Esta internet está lenta", é a pronuncia certa.
Ufa! Chega de exemplos.
Jesus passou quarenta dias com os discípulos após sua ressurreição e antes de subir aos céus disse: "esperem a promessa".
Será que estamos dispostos a ouvir esta palavra de Jesus? Como esta mentalidade condicionada ao imediatismo temos paciência de esperar as respostas de Deus? Será que Deus está feliz com nosso corre-corre? Será que não estamos precisamos do Sábado para o Senhor?
Ao mesmo tempo que creio que precisamos nos esforçar para compreendermos o cronograma de Deus. Creio que Deus tem encontrado soluções para responder-nos com esta mentalidade imediatista. Contudo isto de maneira alguma descarta o fato de que em algum momento de nossas vidas e ministérios Jesus nos dirá: ESPERE.

Que seja nossa oração:
Deus não permitas que o ativismo e o imediatismo me coloque num cronograma diferente do teu. Antes, que eu esteja constantemente disposto e disponível a parar, permanecer em oração e ESPERAR as promessas do Senhor para mim! Amém.

Que seja nossa atitude:
  • Tornar o dia do Senhor uma realidade em meus dias, ou seja, parar em meu dia para estar com o Senhor . Em oração e no estudo da bíblia.
  • Permanecer orando pelos mesmos pedidos (O final da oração é a resposta - Pr. Nilson dos Santos). Aguardando assim as promessas de Deus para minha vida.

Fonte: Meditações de Roosevelt Arantes da Silva
Rio de Janeiro, 02 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Debate das chapas


A comissão Eleitoral que está supervisionado e organizando essas eleições, promoverá um debate de idéias e propostas das chapas que concorrem ao DCEDS 2011.

Horário: 20h20
Local: Capela do Seminário
Data: 08/11/2010

Será uma oportunidade para você conhecer melhor aqueles que representarão o corpo discente da FABAT no próximo ano.

Integrantes da chapa: HORAÇÃO

Presidente: Leonardo Martins - Teologia
Vice-Presidente: José Pinheiro - Pedagogia
Secretário Executivo: Lucas José - Música
Secretário: Rony Cleiton– Teologia
Tesoureiro: Clarindo Junior- Teologia


Integrantes da chapa: FORMAÇÃO

Presidente: Rafael Telles - Teologia
Vice-Presidente: Victor Lino - Teologia
Secretário Executivo: Thiago Sampaio - Teologia
Secretário: Antonio Marmo – Música
Tesoureiro: Jucélio Silva - Teologia
Adjunto- Sec. Exc. Denise Godoi - Pedagogia
Adjunto – secretária: Paula Moraes - Pedagogia
Adjunto – Tesoureira: Ana Priscila- Música

DCEDS

sábado, 30 de outubro de 2010

Eleições do DCEDS- Comissão Eleitoral informa!


A Comissão Eleitoral comunica às chapas e ao corpo discente da Faculdade Batista do Rio de Janeiro, que as eleições para a nova diretoria do Diretório Central dos Estudantes Doutor Shepard, ocorrerá no campus da FABAT, no dia 11 de novembro de 2010, durante todo o dia a partir das 9h para atender a todos os cursos (manhã, tarde e noite). Os alunos que encontram-se devidamente matriculados em alguns curso da FABAT/STBSB, estão aptos para votar.


DCEDS

As 95 Teses de Martinho Lutero- 493 anos depois...


Em 31 de Outubro de 1517, Martinho Lutero afixou na porta da capela de Wittemberg 95 teses que gostaria de discutir com os teólogos católicos, as quais versavam principalmente sobre penitência, indulgências e a salvação pela fé. O evento marca o início da Reforma Protestante e representa um marco e um ponto de partida para a recuperação das sãs doutrinas.

Movido pelo amor e pelo empenho em prol do esclarecimento da verdade discutir-se-á em Wittemberg, sob a presidência do Rev. padre Martinho Lutero, o que segue. Aqueles que não puderem estar presentes para tratarem o assunto verbalmente conosco, o poderão fazer por escrito.

Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

1ª Tese

Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: Arrependei-vos...., certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo arrependimento.

2ª Tese

E esta expressão não pode e não deve ser interpretada como referindo-se ao sacramento da penitência, isto é, à confissão e satisfação, a cargo do ofício dos sacerdotes.

3ª Tese

Todavia não quer que apenas se entenda o arrependimento interno; o arrependimento interno nem mesmo é arrependimento quando não produz toda sorte de modificações da carne.

4ª Tese

Assim sendo, o arrependimento e o pesar, isto é, a verdadeira penitência, perdura enquanto o homem se desagradar de si mesmo, a saber, até a entrada desta para a vida eterna.

5ª Tese

O papa não quer e não pode dispensar outras penas, além das que impôs ao seu alvitre ou em acordo com os cânones, que são estatutos papais.

6ª Tese

O papa não pode perdoar divida senão declarar e confirmar aquilo que Já foi perdoado por Deus; ou então faz nos casos que lhe foram reservados. Nestes casos, se desprezados, a dívida deixaria de ser em absoluto anulada ou perdoada.

7ª Tese

Deus a ninguém perdoa a dívida sem que ao mesmo tempo o subordine, em sincera humildade, ao sacerdote, seu vigário.

8ª Tese

Canones poenitendiales, que não as ordenanças de prescrição da maneira em que se deve confessar e expiar, apenas aio Impostas aos vivos, e, de acordo com as mesmas ordenanças, não dizem respeito aos moribundos.

9ª Tese

Eis porque o Espírito Santo nos faz bem mediante o papa, excluído este de todos os seus decretos ou direitos o artigo da morte e da necessidade suprema

10ª Tese

Procedem desajuizadamente e mal os sacerdotes que reservam e impõem aos moribundos poenitentias canonicas ou penitências para o purgatório a fim de ali serem cumpridas.

11ª Tese

Este joio, que é o de se transformar a penitência e satisfação, Previstas pelos cânones ou estatutos, em penitência ou penas do purgatório, foi semeado quando os bispos se achavam dormindo.

12ª Tese

Outrora canonicae poenae, ou sejam penitência e satisfação por pecadores cometidos eram impostos, não depois, mas antes da absolvição, com a finalidade de provar a sinceridade do arrependimento e do pesar.

13ª Tese

Os moribundos tudo satisfazem com a sua morte e estão mortos para o direito canônico, sendo, portanto, dispensados, com justiça, de sua imposição.

14ª Tese

Piedade ou amor Imperfeitos da parte daquele que se acha às portas da morte necessariamente resultam em grande temor; logo, quanto menor o amor, tanto maior o temor.

15ª Tese

Este temor e espanto em si tão só, sem falar de outras cousas, bastam para causar o tormento e o horror do purgatório, pois que se avizinham da angústia do desespero.

16ª Tese

Inferno, purgatório e céu parecem ser tão diferentes quanto o são um do outro o desespero completo, incompleto ou quase desespero e certeza.

17ª Tese

Parece que assim como no purgatório diminuem a angústia e o espanto das almas, nelas também deve crescer e aumentar o amor.

18ª Tese

Bem assim parece não ter sido provado, nem por boas ações e nem pela Escritura, que as almas no purgatório se encontram fora da possibilidade do mérito ou do crescimento no amor.

19ª Tese

Ainda parece não ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua salvação e não receiem por ela, não obstante nós termos absoluta certeza disto.

20ª Tese

Por isso o papa não quer dizer e nem compreende com as palavras “perdão plenário de todas as penas” que todo o tormento é perdoado, mas as penas por ele impostas.

21ª Tese

Eis porque erram os apregoadores de indulgências ao afirmarem ser o homem perdoado de todas as penas e salvo mediante a indulgência do papa.

22ª Tese

Pensa com efeito, o papa nenhuma pena dispensa às almas no purgatório das que segundo os cânones da Igreja deviam ter expiado e pago na presente vida.

23ª Tese

Verdade é que se houver qualquer perdão plenário das penas, este apenas será dado aos mais perfeitos, que são muito poucos.

24ª Tese

Assim sendo, a maioria do povo é ludibriada com as pomposas promessas do indistinto perdão, impressionando-se o homem singelo com as penas pagas.

25ª Tese

Exatamente o mesmo poder geral, que o papa tem sobre o purgatório, qualquer bispo e cura d'almas o tem no seu bispado e na sua paróquia, quer de modo especial e quer para com os seus em particular.

26ª Tese

O papa faz muito bem em não conceder às almas o perdão em virtude do poder das chaves (ao qual não possui), mas pela ajuda ou em forma de intercessão.

27ª Tese

Pregam futilidades humanas quantos alegam que no momento em que a moeda soa ao cair na caixa a alma se vai do purgatório.

28ª Tese

Certo é que no momento em que a moeda soa na caixa vêm o lucro e o amor ao dinheiro cresce e aumenta; a ajuda, porém, ou a intercessão da Igreja tão só correspondem à vontade e ao agrado de Deus.

29ª Tese

E quem sabe, se todas as almas do purgatório querem ser libertadas, quando há quem diga o que sucedeu com Santo Severino e Pascoal.

30ª Tese

Ninguém tem certeza da suficiência do seu arrependimento e pesar verdadeiros; muito menos certeza pode ter de haver alcançado pleno perdão dos seus pecados.

31ª Tese

Tão raro como existe alguém que possui arrependimento e, pesar verdadeiros, tão raro também é aquele que verdadeiramente alcança indulgência, sendo bem poucos os que se encontram.

32ª Tese

Irão para o diabo juntamente com os seus mestres aqueles que julgam obter certeza de sua salvação mediante breves de indulgência.

33ª Tese

Há que acautelasse muito e ter cuidado daqueles que dizem: A indulgência do papa é a mais sublime e mais preciosa graça ou dadiva de Deus, pela qual o homem é reconciliado com Deus.

34ª Tese

Tanto assim que a graça da indulgência apenas se refere à pena satisfatória estipulada por homens.

35ª Tese

Ensinam de maneira ímpia quantos alegam que aqueles que querem livrar almas do purgatório ou adquirir breves de confissão não necessitam de arrependimento e pesar.

36ª Tese

Todo e qualquer cristão que se arrepende verdadeiramente dos seus pecados, sente pesar por ter pecado, tem pleno perdão da pena e da dívida, perdão esse que lhe pertence mesmo sem breve de indulgência.

37ª Tese

Todo e qualquer cristão verdadeiro, vivo ou morto, é participante de todos os bens de Cristo e da Igreja, dádiva de Deus, mesmo sem breve de indulgência.

38ª Tese

Entretanto se não deve desprezar o perdão e a distribuição por parte do papa. Pois, conforme declarei, o seu perdão constitui uma declaração do perdão divino.

39ª Tese

É extremamente difícil, mesmo para os mais doutos teólogos, exaltar diante do povo ao mesmo tempo a grande riqueza da indulgência e ao contrário o verdadeiro arrependimento e pesar.

40ª Tese

O verdadeiro arrependimento e pesar buscam e amam o castigo: mas a profusão da indulgência livra das penas e faz com que se as aborreça, pelo menos quando há oportunidade para isso.

41ª Tese

É necessário pregar cautelosamente sobre a indulgência papal para que o homem singelo não julgue erroneamente ser a indulgência preferível às demais obras de caridade ou melhor do que elas.

42ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos, não ser pensamento e opinião do papa que a aquisição de indulgência de alguma maneira possa ser comparada com qualquer obra de caridade.

43ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos proceder melhor quem dá aos pobres ou empresta aos necessitados do que os que compram indulgências.

44ª Tese

Ê que pela obra de caridade cresce o amor ao próximo e o homem torna-se mais piedoso; pelas indulgências, porém, não se torna melhor senão mais seguro e livre da pena.

45ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que aquele que vê seu próximo padecer necessidade e a despeito disto gasta dinheiro com indulgências, não adquire indulgências do papa. mas provoca a ira de Deus.

46ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem fartura , fiquem com o necessário para a casa e de maneira nenhuma o esbanjem com indulgências.

47ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos, ser a compra de indulgências livre e não ordenada

48ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa precisa conceder mais indulgências, mais necessita de uma oração fervorosa do que de dinheiro.

49ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos, serem muito boas as indulgências do papa enquanto o homem não confiar nelas; mas muito prejudiciais quando, em conseqüência delas, se perde o temor de Deus.

50ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa tivesse conhecimento da traficância dos apregoadores de indulgências, preferiria ver a catedral de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.

51ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que o papa, por dever seu, preferiria distribuir o seu dinheiro aos que em geral são despojados do dinheiro pelos apregoadores de indulgências, vendendo, se necessário fosse, a própria catedral de São Pedro.

52º Tese

Comete-se injustiça contra a Palavra de Deus quando, no mesmo sermão, se consagra tanto ou mais tempo à indulgência do que à pregação da Palavra do Senhor.

53ª Tese

São inimigos de Cristo e do papa quantos por causa da prédica de indulgências proíbem a Palavra de Deus nas demais igrejas.

54ª Tese

Esperar ser salvo mediante breves de indulgência é vaidade e mentira, mesmo se o comissário de indulgências, mesmo se o próprio papa oferecesse sua alma como garantia.

55ª Tese

A intenção do papa não pode ser outra do que celebrar a indulgência, que é a causa menor, com um sino, uma pompa e uma cerimônia, enquanto o Evangelho, que é o essencial, importa ser anunciado mediante cem sinos, centenas de pompas e solenidades.

56ª Tese

Os tesouros da Igreja, dos quais o papa tira e distribui as indulgências, não são bastante mencionados e nem suficientemente conhecido na Igreja de Cristo.

57ª Tese

Que não são bens temporais, é evidente, porquanto muitos pregadores a estes não distribuem com facilidade, antes os ajuntam.

58ª Tese

Tão pouco são os merecimentos de Cristo e dos santos, porquanto estes sempre são eficientes e, independentemente do papa, operam salvação do homem interior e a cruz, a morte e o inferno para o homem exterior.

59ª Tese

São Lourenço aos pobres chamava tesouros da Igreja, mas no sentido em que a palavra era usada na sua época.

60ª Tese

Afirmamos com boa razão, sem temeridade ou leviandade, que estes tesouros são as chaves da Igreja, a ela dado pelo merecimento de Cristo.

61ª Tese

Evidente é que para o perdão de penas e para a absolvição em determinados casos o poder do papa por si só basta.

62ª Tese

O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.

63ª Tese

Este tesouro, porém, é muito desprezado e odiado, porquanto faz com que os primeiros sejam os últimos.

64ª Tese

Enquanto isso o tesouro das indulgências é sabiamente o mais apreciado, porquanto faz com que os últimos sejam os primeiros.

65ª Tese

Por essa razão os tesouros evangélicos outrora foram as redes com que se apanhavam os ricos e abastados.

66ª Tese

Os tesouros das indulgências, porém, são as redes com que hoje se apanham as riquezas dos homens.

67ª Tese

As indulgências apregoadas pelos seus vendedores como a mais sublime graça decerto assim são consideradas porque lhes trazem grandes proventos.

68ª Tese

Nem por isso semelhante indigência não deixa de ser a mais Intima graça comparada com a graça de Deus e a piedade da cruz.

69ª Tese

Os bispos e os sacerdotes são obrigados a receber os comissários das indulgências apostólicas com toda a reverência-

70ª Tese

Entretanto têm muito maior dever de conservar abertos olhos e ouvidos, para que estes comissários, em vez de cumprirem as ordens recebidas do papa, não preguem os seus próprios sonhos.

71ª Tese

Aquele, porém, que se insurgir contra as palavras insolentes e arrogantes dos apregoadores de indulgências, seja abençoado.

72ª Tese

Quem levanta a sua voz contra a verdade das indulgências papais é excomungado e maldito.

73ª Tese

Da mesma maneira em que o papa usa de justiça ao fulminar com a excomunhão aos que em prejuízo do comércio de indulgências procedem astuciosamente.

74ª Tese

Muito mais deseja atingir com o desfavor e a excomunhão àqueles que, sob o pretexto de indulgência, prejudiquem a santa caridade e a verdade pela sua maneira de agir.

75ª Tese

Considerar as indulgências do papa tão poderosas, a ponto de poderem absolver alguém dos pecados, mesmo que (cousa impossível) tivesse desonrado a mãe de Deus, significa ser demente.

78 ª Tese

Bem ao contrario, afirmamos que a indulgência do papa nem mesmo o menor pecado venial pode anular o que diz respeito à culpa que constitui.

77ª Tese

Dizer que mesmo São Pedro, se agora fosse papa, não poderia dispensar maior indulgência, significa blasfemar S. Pedro e o papa.

78ª Tese

Em contrario dizemos que o atual papa, e todos os que o sucederam, é detentor de muito maior indulgência, isto é, o Evangelho, as virtudes o dom de curar, etc., de acordo com o que diz 1Coríntios 12.

79ª Tese

Afirmar ter a cruz de indulgências adornada com as armas do papa e colocada na igreja tanto valor como a própria cruz de Cristo, é blasfêmia.

80ª Tese

Os bispos, padres e teólogos que consentem em semelhante linguagem diante do povo, terão de prestar contas deste procedimento.

81ª Tese

Semelhante pregação, a enaltecer atrevida e insolentemente a Indulgência, faz com que mesmo a homens doutos é difícil proteger a devida reverência ao papa contra a maledicência e as fortes objeções dos leigos.

82 ª Tese

Eis um exemplo: Por que o papa não tira duma só vez todas as almas do purgatório, movido por santíssima' caridade e em face da mais premente necessidade das almas, que seria justíssimo motivo para tanto, quando em troca de vil dinheiro para a construção da catedral de S. Pedro, livra um sem número de almas, logo por motivo bastante Insignificante?

83ª Tese

Outrossim: Por que continuam as exéquias e missas de ano em sufrágio das almas dos defuntos e não se devolve o dinheiro recebido para o mesmo fim ou não se permite os doadores busquem de novo os benefícios ou pretendas oferecidos em favor dos mortos, visto' ser Injusto continuar a rezar pelos já resgatados?

84ª Tese

Ainda: Que nova piedade de Deus e dó papa é esta, que permite a um ímpio e inimigo resgatar uma alma piedosa e agradável a Deus por amor ao dinheiro e não resgatar esta mesma alma piedosa e querida de sua grande necessidade por livre amor e sem paga?

85ª Tese

Ainda: Por que os cânones de penitencia, que, de fato, faz muito caducaram e morreram pelo desuso, tornam a ser resgatados mediante dinheiro em forma de indulgência como se continuassem bem vivos e em vigor?

86ª Tese

Ainda: Por que o papa, cuja fortuna hoje é mais principesca do que a de qualquer Credo, não prefere edificar a catedral de S. Pedro de seu próprio bolso em vez de o fazer com o dinheiro de fiéis pobres?

87ª Tese

Ainda: Quê ou que parte concede o papa do dinheiro proveniente de indulgências aos que pela penitência completa assiste o direito à indulgência plenária?

88ª Tese

Afinal: Que maior bem poderia receber a Igreja, se o papa, como Já O faz, cem vezes ao dia, concedesse a cada fiel semelhante dispensa e participação da indulgência a título gratuito.

89ª Tese

Visto o papa visar mais a salvação das almas do que o dinheiro, por que revoga os breves de indulgência outrora por ele concedidos, aos quais atribuía as mesmas virtudes?

90ª Tese

Refutar estes argumentos sagazes dos leigos pelo uso da força e não mediante argumentos da lógica, significa entregar a Igreja e o papa a zombaria dos inimigos e desgraçar os cristãos.

91ª Tese

Se a Indulgência fosse apregoada segundo o espírito e sentido do papa, aqueles receios seriam facilmente desfeitos, nem mesmo teriam surgido.

92ª Tese

Fora, pois, com todos estes profetas que dizem ao povo de Cristo: Paz! Paz! e não há Paz.

93ª Tese

Abençoados sejam, porém, todos os profetas que dizem à grei de Cristo: Cruz! Cruz! e não há cruz.

94ª Tese

Admoestem-se os cristãos a que se empenhem em seguir sua Cabeça Cristo através do padecimento, morte e inferno.

95ª Tese

E assim esperem mais entrar no Reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados diante de consolações infundadas.


A reforma, no entanto, veio para reafirma às verdades cristãs que estavam encobertas pelos erros do Clérigo Católico Romano.

O passado muito nos ensina, porém o presente aguarda a manifestação dos filhos de Deus. E com os princípios do passado que baliza novas compreensões e o olhar no futuro, vivamos o presente, sem perder os fundamentos bases que os reformadores reafirmaram. Invoquemos a importância desses fundamentos a serem cultivados pela Igreja Cristã. A igreja evangélica hoje, não precisa ressuscitar os erros do passado, que Lutero e os reformadores combateram. É lamentável ver movimentos evangélicas, viverem tão distantes desses princípios que não são reformados apenas, mas, sobretudo, bíblicos e base para qualquer cristão viver cristologicamente. Voltemos ao Evangelho!

Onde estão os Lutero do século XXI?

A célebre frase "Ecclesia reformata et semper reformanda est" - A Igreja reformada está sempre se reformando – expressão formulada após a Reforma, e vastamente utilizada neste lapso temporal, precisa ser a tônica da Igreja na atualidade, frente a tantos e urgentes desafios que o mundo pós moderno nos apresenta.


Jason Costa

Moderador

Venha estudar na Faculdade Batista do Rio de Janeiro

Se você tem o chamado de Deus para o ministério pastoral, ministério de música, campo missionário ou exerce algum cargo de liderança em sua igreja, atenção: Há 102 anos lapidando líderes para o serviço do Reino, a Faculdade Batista do Rio de Janeiro/Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil está com inscrições abertas para o primeiro vestibular de 2011 até o dia 22 de outubro de 2010.

Para fazer a matrícula - com 30% de desconto - nos cursos de Teologia ou de Música você deve se inscrever neste primeiro vestibular através do site seminariodosul.com.br ou diretamente em nosso campus, na Rua José Higino, 416 – Tijuca. Maiores informações pelo telefone (21) 2570-1833 ou em nosso site seminariodosul.com.br.

Não perca a chance de estudar no Seminário do Sul e ter um preparo ministerial excepcional. Ofereça o seu melhor para o Senhor, a começar por sua qualificação ministerial.

PERÍODO DE INSCRIÇÃO

Para fazer nosso vestibular do dia 29 de outubro de 2010 você deve, apenas dar quatro passos:

Para ler o Edital de Convocação para o processo Seletivo 2011 Clique aqui
Faça sua inscrição. Clique aqui
Declaração de leitura do Edital Clique aqui
Atenção, todos os candidatos sejam por prova, portadores de diploma ou transferência, deverão inscrever-se através do preenchimento da ficha de inscrição e pagamento da taxa.
Lembre-se que qualquer candidato deve atender às exigências da Portaria Ministerial nº 394, publicada no D.O.U. de 07/02/2008 (com retificação no dia 13/02/2002) que estabelece: 1) o candidato aos cursos de ensino superior deverá ter concluído ou estar.

O STBSB, já entregou às igrejas da CBB, mais de 5 mil graduados em Teologia, Musica e Pedagogia. Pastores, Educadores, Músicos, Escritores, Teólogos, Missionários, Mestres e Doutores atuando em mais de 60 países do mundo na missão que Deus vocacionou a cada um em seus respectivos ministérios.
Venha você também estudar na Casa Teologia de tradição e de excelência na formação de lideres.

Diretório Central dos Estudantes Doutor Shepard - DCEDS

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

OPORTUNIDADE PARA PASTOR DE JOVENS EM MT


A Primeira Igreja Batista em Paranaíba (MS) vem por meio desta informar que está recebendo currículo pessoal e ministerial de jovem pastor que esteja disposto a assumir o ministério em tempo integral junto a juventude da igreja.

Os critérios para admissão do currículo são:

a) Que seja solteiro (sem compromisso amoroso);

b) Que tenha idade entre 22 e 30 anos;

c) Que seja bacharel em teologia;

d) Já tenha sido consagrado ao ministério ou que já tenha sua ordenação solicitada pela igreja da qual participa;

e) Que tenha alguma aptidão musical.

Pedimos aos interessados nos enviem seu currículo com foto para o endereço de e-mail que segue: pibbat@terra.com.br

Contamos com as orações de todos e desde já somos antecipadamente gratos.

Fraternamente em Cristo Jesus.

João Marcos Rodrigues Pereira

Pastor da Igreja


Os interessados devem entrar em contato diretamente com a igreja por meio do e-mail acima.

CADS

Papa Bento 16 e as eleições no Brasil


Papa diz a bispos brasileiros que eles devem emitir juízos morais na política


O Papa Bento XVI afirmou nesta quinta-feira (28), em discurso a religiosos brasileiros no Vaticano, que os bispos têm o dever de emitir juízos morais, mesmo em matérias políticas.

O papa não se referiu diretamente ao segundo turno da eleição presidencial brasileira, marcado para este domingo, e no qual a discussão sobre o aborto foi levantada, com participação das igrejas.

Segundo a Rádio Vaticano, Bento XVI afirmou que é dever dos fiéis leigos trabalharem por uma ordem social justa e como cidadãos livres e responsáveis, se empenharem para contribuir para a reta configuração da vida social, no respeito da sua legítima autonomia e da ordem moral natural.

Ao continuar a argumentação, Bento XVI citou o aborto e a eutanásia.

“Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até a morte natural", disse.

"Além disso, no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal? Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases", disse.

"Portanto, caros irmãos no episcopado, ao defender a vida não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambigüidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo", disse.

O papa também afirmou que, para ajudar os leigos a viverem o seu empenho cristão e sócio-político de um modo unitário e coerente, "é necessária uma catequese social e uma adequada formação na doutrina social da Igreja".

Bento XVI também apelou pela educação religiosa no âmbito do Estado.

"Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história", disse.

O Papa Bento XVI recebeu nesta manhã em audiência no Vaticano o grupo de bispos do Regional Nordeste 5 da CNBB, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Abaixo o link do pronunciamento do Papa de Roma, Bento XVI.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/10/papa-diz-bispos-brasileiros-que-eles-devem-emitir-juizos-morais-na-politica.html

Em termos de apologia à vida, a Igreja Católica, tem se posicionado mais firmemente no que tange a defesa ao indefesos do que a 'Igreja Evangélica'. Será? e por que será?

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

OPORTUNIDADE- Curso Prevenção ao Uso Indevido de Drogas


Prezado(a),

A partir do dia 21 de outubro até o dia 10 de novembro, estão abertas as inscrições para a 3ª edição do Curso Prevenção ao Uso Indevido de Drogas – Capacitação para Conselheiros e Lideranças Comunitárias, promovido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas – SENAD, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, em parceria com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI), do Ministério da Justiça. O Curso será executado pela Secretaria de Educação a Distância (SEaD) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O curso será ofertado na modalidade de Educação a Distância – EaD, com carga horária de 120 horas, durante um período de 03 meses, para 15.000 conselheiros municipais e líderes comunitários de todo o Brasil, com o intuito de fortalecer a atuação em rede para a prevenção da violência e da criminalidade relacionadas ao uso indevido de drogas. O curso é gratuito e oferece certificado de extensão universitária emitido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Poderão participar Conselheiros atuantes nos Conselhos Municipais de Segurança, Sobre Drogas, Tutelar, Direitos da Criança e do Adolescente, Educação, Saúde, Assistência Social, Conselhos Escolares, Juventude, Idoso e Trabalho, Conselho de Segurança Comunitária e Líderes Comunitários atuantes em ações de prevenção ao uso de álcool e outras drogas. O conteúdo do curso foi elaborado por especialistas da área e reúne informações atualizadas sobre: classificação das drogas e seus efeitos, padrões de consumo de drogas, tratamento, redução de danos, prevenção ao uso de drogas, legislações e políticas públicas correlatas à questão do uso de drogas, dentre outros assuntos.

Para obter mais informações e realizar sua inscrição, acesse o portal: www.conselheiros.senad.gov.br Após o processo de triagem dos inscritos, os alunos selecionados receberão uma mensagem eletrônica da Universidade solicitando que eles efetivem a sua matrícula e comunicando outras orientações sobre o curso.

Universidade Federal de Santa Catarina
Ministério da Justiça
Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas